Aluá – O primeiro refrigerante brasileiro.

O Aluá é uma bebida produzida da fermentação natural da casca do abacaxi, mas também pode ser produzida com outras frutas tropicais, além de grãos como milho e arroz moídos. É uma bebida de receita muito variável, algumas pequenas mudanças de ingredientes garantem novos sabores e texturas, quando produzidas com frutas ou suas cascas, a bebida final é leve, ácida e gaseificada, podendo ser adoçada com açúcar comum, mascavo ou rapadura, e adicionada de outros ingredientes como gengibre, cravo, canela, erva doce, caldo de cana ou mel, que ajudam a refinar o sabor e o aroma. Por ser uma bebida refrescante e gasosa, é considerada como o primeiro refrigerante brasileiro.

A origem da palavra “Aluá” aponta para diferentes fontes: uma delas é africana, que deriva de “al”, que significa água na língua dos hauças, nativos da Costa da Mina, região africana de origem de muitos negros escravizados que embarcaram para as américas. Outra possível origem africana é “naluá” ou “alua”, que em quimbundo (língua africana) significa cerveja de milho. Outra origem vem do termo “ao luar”, que faz uma referência à produção da bebida pelos escravos durante à noite. O termo pode ter sido originado também dos nativos da América do Sul, que em tupi “aruá” significa coisa boa ou gostosa.

Por ser uma bebida obtida a partir da fermentação natural de frutas, apresenta em sua composição microrganismos potencialmente probióticos, que durante sua passagem pelo intestino humano, promovem a saúde do consumidor, pois produzem substâncias importantes para o organismo como, aminoácidos essenciais, ácidos graxos de cadeia curta, vitaminas do complexo B e Vitamina K. Eles são fundamentais para o sistema imunológico e fisiologia das células intestinais.

Devido ao aumento do número de estudos sobre a microbiota intestinal nos últimos anos, assim como as evidências promissoras sobre os efeitos benéficos dos probióticos sobre essa microbiota, ocorreu um aumento na procura por alimentos com essas propriedades nos mercados nacional e mundial como, Kefir e Kombuchá, que são bebidas tradicionais da cultura oriental. Nesse contexto, o Aluá é uma das nossas bebidas tradicionais que apresenta esses benefícios probióticos, é de baixo custo, feita com frutas cultivados no Brasil como o abacaxi e é acessível a grande parte da população brasileira.




Receita de Aluá de abacaxi com especiarias – Microbiologia dos Alimentos – Professor Marco Antônio Lemos Miguel - UFRJ

Ingredientes

- 1 abacaxi maduro

- 1 pau de canela*

- 2 cravos-da-índia

- 500g de rapadura ou açúcar mascavo

- 2,5 litros de água potável

Preparo

-Lavar o abacaxi com casca em água potável.

-Cortar o abacaxi com casca em pequenos cubos e colocar em uma jarra grande.

- Triturar o cravo e canela e juntar ao abacaxi e juntar com 2 litros de água e tampar.

-Deixar fermentando em local da casa que tenha uma temperatura mais alta (geralmente sobre o refrigerador) até que comece a borbulhar (entre 2 e 3 dias).

-Dissolver o açúcar ou a rapadura em uma panela com aproximadamente 300 a 400 ml de água e aquecer até que dissolva completamente.

-Deixar esfriar.

-Juntar e misturar este xarope doce ao abacaxi fermentado, cobrir e deixar por mais 2 a 3 dias.

-Após a fermentação a bebida deve ser coada e colocada em frascos que vedem bem para evitar a perda do gás.

-Refrigerar antes de consumir.

Obs: O pau de canela e o cravo-da-índia, que são condimentos, podem ser substituídas ou acompanhadas por outros como hortelã, gengibre ou pimenta


Referências: Aluá, bebida fermentada que teria sido originada há séculos pelos índigenas brasileiros. 5 DE SETEMBRO DE 2019. Disponível em: < https://www.meussertoes.com.br/2019/09/05/o-resgate-do-alua/>


59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo