Sua Comida Preferida Pode Ter Sido Feita por Microrganismos
por Samyra Tibúrcio

Enquanto comemos uma refeição raramente pensamos sobre a origem dos alimentos e seus métodos de preparo. Muitos alimentos presentes em nossas mesas têm a participação de microrganismos na sua produção, como pães, vinhos, iogurte, queijos, chocolate e muitos outros.

      Os microrganismos são utilizados na produção de alimentos há milhares de anos. Há evidências de que os babilônios produziam cervejas em 7.000 a.C.; uma das primeiras descrições de vinho data de 3.500 a.C. ; e em 3.000 a.C., os egípcios fabricavam queijos e manteiga.

Os principais seres microscópicos utilizados na indústria alimentícia são os fungos filamentosos, fungos leveduriformes e as bactérias. Para que os pães fiquem grandes e macios utilizamos o fermento biológico, que é uma levedura. As leveduras também são utilizadas para a produção de diversas bebidas, dentre elas a cerveja e o vinho. Outros tipos de fungos são muito utilizados na maturação de queijos como brie, gorgonzola e roquefort. As bactérias são responsáveis pela produção de vários alimentos consumidos em nossas dietas, como os iogurtes, quefir e leites fermentados.

Leveduras usadas para produção de pães

Queijos produzidos com microrganismos: Brie ( Penicillium candidum, Penicillium camembertiBrevibacterium linens), Roquefort (Penicillium roqueforti) e gorgonzola (bactérias iniciadoras e Penicillium glaucum), respectivamente.

Fungos comestíveis: champion, shitake e shimeji, consecutivamente.

      Muitos outros alimentos possuem a participação de microrganismos em alguma etapa da sua produção, dentre eles podemos citar a fermentação dos grãos de café; fermentação do cacau que dá origem ao chocolate; picles, chucrute e conservas em geral; vinagre e molho shoyo. Também não podemos esquecer os cogumelos, que embora sejam grandes são fungos.

      O uso dos alimentos para a promoção do bem-estar e saúde e, ao mesmo tempo, como redutor dos riscos de algumas doenças, tem incentivado as pesquisas de novos componentes naturais e originado o desenvolvimento de novos ingredientes. Os termos probiótico e prebiótico vêm sendo muito divulgados nos últimos anos. Os probióticos são microrganismos vivos que conferem benefícios à saúde de quem os ingerem; os prebióticos são alimentos não digeríveis que estimulam a proliferação ou a atividade de algumas populações bacterianas no intestino, beneficiando o hospedeiro dessas bactérias. Os principais probióticos são geralmente encontrados em produtos lácteos, enquanto os principais prebióticos são as fibras.

      Os microrganismos são muito conhecidos por seus aspectos negativos, como as doenças e decomposição de alimentos, mas devemos reconhecer a sua grande participação na nutrição e promoção do bem-estar humano, além da sua importância na indústria alimentícia e farmacêutica.


Referências

http://www.usp.br/forc/o-cientista-responde.php?t=Qual-a-diferenca-entre-prebiotico,-probiotico-e-simbiotico-e-quais-os-beneficios-que-podem-conferir-a-saude?&cr=95

http://www.scielo.br/pdf/cta/v26n3/31761

https://editora.unoesc.edu.br/index.php/acbs/article/view/12491/pdf

http://www.scielo.br/pdf/%0D/cr/v34n4/a56v34n4.pdf

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1002/9781119237860.ch01

Sobre a autora

© 2020 por Microzinhando. Orgulhosamente criado com Wix.com